Open/Close Menu A Diocese de Viseu é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Portugal

À porta dos super e hipermercados da região de Viseu juntaram-se no passado fim-de-semana, 1 e 2 de dezembro, 2.200 voluntários dispostos a dar o seu melhor para a campanha do Banco Alimentar Contra a Fome, que nesses dias decorreu em todo o país.

     Desta vez, o Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu recolheu 75.791 toneladas de alimentos. Um número muito próximo dos resultados da campanha do ano passado, em que foram doadas 76 toneladas, e que “garantem o apoio às instituições por mais seis meses”, adianta a responsável pelo Banco Alimentar de Viseu, Fátima Ribeiro.

     O slogan da campanha é explicito – Eu Dou Mais para que Falte Menos – e é a partir dessa ideia que a maioria das pessoas se disponibiliza a pegar no saco que lhe é oferecido à porta dos supermercados e, no regresso, traz algo para colocar no ‘carrinho’ do Banco Alimentar. Susana Costa, de 49 anos, regressava com um saco de pacotes de leite. “Quando os meus filhos eram pequenos achava sempre que quando tinha leite em casa já não havia problema, por isso opto por oferecer leite”, adiantava à saída do Continente.

     Maria da Encarnação, de 75 anos, contribui para o Banco Alimentar com o receio de o que oferece “nunca chegar a quem está mesmo a precisar”, mas prefere ficar de “consciência tranquila” e oferece “mercearia”. “No tempo em que vivia em casa dos meus pais, muitos pobres batiam à porta com fome, esses é que eram tempos difíceis. A minha mãe tinha sempre azeite e massa preparada para oferecer e dizia: com isto façam uma boa sopa que já ajuda”, explicava e, talvez por isso, o seu saco de oferta estava recheado de massa, arroz e enlatados.

     O Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu divulgou que a massa, o arroz e a doçaria foram os alimentos que mais receberam. No armazém do Parque Industrial de Coimbrões faltava leite, mas depois do apelo do Banco Alimentar o produto acabou por chegar

     A Campanha do fim de semana do Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu vai permitir apoiar no próximo semestre 97 instituições no distrito de Viseu o que resulta numa ajuda efetiva 5.760 pessoas carenciadas.

            O Banco Alimentar Contra a Fome de Viseu nasceu em 2009 da vontade de um grupo de pessoas que se juntaram para lutar contra o desperdício de alimentos e contra a fome na região de Viseu. Diariamente, o Banco Alimentar de Viseu conta com o trabalho de dezenas de voluntários que asseguram o seu funcionamento de uma forma dedicada e desinteressada.

G.I./J.B.

 

CategoriaViseu

© 2016 Diocese de Viseu. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: scpdpi.com

Siga-nos: