Open/Close Menu A Diocese de Viseu é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Portugal

O passado sábado foi quase um dia histórico para a Fundação São José, da Diocese de Viseu, mas já na semana anterior se tinham vindimado as primeiras uvas da reconvertida Quinta dos Carvalhiços, em São Miguel de Outeiro, Tondela.

Dois anos depois da replantação realizou-se a primeira vindima de um projeto que está a dar os primeiros passos. Em mais de 14 hectares dos 70 que tem a Quinta de Carvalhiços – propriedade da Fundação São José/Diocese de Viseu – tem mais de 14 hectares de vinha, recentemente replantada. Colheram-se este ano as primeiras uvas desta vinha integrada na Região Demarcada do Dão e o enólogo Hugo Chaves está a preparar, com elas, o primeiro vinho de Missa com marca própria da Diocese de Viseu. “Eu gostava muito de apostar nos vinhos de Missa. Sendo esta uma propriedade da Diocese faz todo o sentido apostar nessa área”. O presidente da Fundação São José, Paulo Machado, partilha da mesma ideia, um vinho de missa com produção própria [da Diocese de Viseu] e é um objetivo que temos em vista”, mas como o volume de uvas já produzidas permitem ir mais além, a Fundação São José entrará no mercado como qualquer outra marca do Dão: “Nós pretendemos criar uma marca – Quinta dos Carvalhiços – e passar a entrar no mercado também com essa marca”. Esta primeira colheita já colocará cerca de mil garrafas no mercado nacional e o enólogo Hugo Chaves acredita num “bom ano” para o vinho do Dão.

Em 2017 a Diocese de Viseu decidiu reconverter a antiga vinha da Quinta de Carvalhiços, doada à Fundação São José, trabalhos que visavam trabalhar a vinha de forma mais profissional. Hugo Chaves reconhece a esta vinha qualidades suficientes para colocar um grande vinho no mercado.

Quanto ao vinho de Missa, Hugo Chaves explica que “existem várias versões” para esse vinho, mas “a burocracia em termos de rótulo é que tem as suas especificidades”. Um vinho de missa tem de ser isento de manipulação laboratorial e ter origem em uvas de boa qualidade. O enólogo considera que São Miguel de Outeiro, uma zona de transição para Tondela, está vocacionado para a produção de bons vinhos brancos, mas a Fundação também vai apostar nos vinhos tintos. “É um desafio”.

A Quinta dos Carvalhiços, em São Miguel de Outeiro, está a ser requalificada, tendo em vista o desenvolvimento da atividade agrícola com especial incidência na vinha. Mas há também um projeto de âmbito social, pedagógico e turístico, aproveitando a restante área da propriedade. O presidente da Fundação São José, que é também diretor pedagógico do Colégio da Via-Sacra (propriedade da Fundação) deu o primeiro passo. Convidou os alunos e pais do Colégio para ajudarem à vindima e a adesão foi muito significativa: “É uma grande ajuda, mas o objetivo foi fundamentalmente tirar os alunos para fora da sala de aula, permitir-lhes o contacto com a natureza, conhecerem a vinha, conhecerem as uvas, no fundo saberem como se faz o vinho”, acrescentou Paulo Machado. Nos últimos três anos foram investidos cerca de um milhão de euros, com uma comparticipação através do Programa VITIS, que se destina a apoiar projetos de reestruturação e reconversão de vinhas. A propriedade permitirá também vir a criar uma estrutura de turismo em espaço rural com atividades mais consistentes, em contacto com a natureza, seja de lazer, sejam acampamentos de escuteiros, campos de férias, etc. O potencial da propriedade possibilita-o, mas o presidente da Fundação esclarece que “não nos meteremos em loucuras; queremos dar um passo de cada vez, aproveitando as oportunidades”.

O primeiro vinho com o rótulo Quinta dos Carvalhiços chegará em 2020, esperando-se que seja um bom produto. Ao provarem o vinho da Quinta dos Carvalhiços saberão também que esse vinho tem por detrás um projeto social, pedagógico e é presença da Igreja a rentabilizar o que foi doado à Igreja”, e a testemunhar uma postura ecológica, no “cuidado com a casa comum” na linha das preocupações para que o Papa Francisco nos alerta.

G.I./J.B.:EA

CategoriaDiocese, Igreja, Pastoral

© 2016 Diocese de Viseu. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: scpdpi.com

Siga-nos: